quinta-feira, 3 de novembro de 2016

El dia de los Muertos


                                               El Dia de los Muertos




O dia dos mortos além de muita cor possui sabor especial, sendo preparados pratos tradicionais para aqueles que se foram e é "aberto" um convite, para que participem conosco em sua homenagem.
O cardápio é especial nesta ocasião, são oferecidos mimos e um dos mais especiais é o Pan de Muerto, sendo ele o rei do cardápio. 


Foto: ultra.com.mx



Trata-se de um pão polvilhado de açúcar branco ou vermelho, coberto com sementes de sésamo, baunilha ou laranja, chocolate e recheados com frutas.  
O pão seria uma tradição da cultura hispânica que sepultavam seus mortos com um pão para que não passassem fome na viagem para o além. Esse pão teria sido substituído pois a tradição original seria de um ritual indígena, onde uma virgem era sacrificada e seu coração arrancado. Feito isso, o mesmo era colocado em uma panela com amaranto e durante a cerimônia, o sacerdote o morderia dando graças aos deuses. Muito aterrorizados com o ritual, os conquistadores decidiram erradica-lo substituindo o coração por um pão feito de farinha e açúcar com uma coloração vermelha. De qualquer forma a tradição continua mesmo que modificada (se for verdadeira!).

Foto: internet

Em uma de suas mais conhecidas versões, uma bola branca é colocada no centro do pão para representar o crânio e quatro ossos sobre, simbolizando os pontos cardeais no calendário Asteca sob as divindades: Quetzalcoalt, Xipetotec, Tlaloc e Tezcatlipoca.




Foto: mesdelosmuertos.tumblr.com


Como as culturas antigas da Mesoamérica acreditavam que a morte era uma etapa para a vida mais longa, mantinham os crânios de seus mortos como troféus por terem completado a jornada e colocados sobre altares (tzompantli). 


Foto: xataka.com.mx

Sendo a igreja católica extremamente contra, os espanhóis decidiram representar a crença indígena de outra forma modificando para crânios de açúcar, onde levam os nomes dos mortos. Esse é o exclusivo doce dos mortos e são os ornamentos favoritos para oferta-los.



Foto: chadaatarde.wordpress.com

Nos dias atuais algumas crenças são ainda mantidas, como a presença dos quatro elementos essenciais da natureza, que caracterizam e expressam a dualidade entre a vida e a morte, sendo eles:

Terra - representada por os frutos que alimentam os mortos. Usam os frutos de temporada como laranjas, cana de açúcar entre outros;

Vento - é indispensável o incenso pela crença de que é espalhado pelo ar, marcando "os caminhos" para os mortos;

Água - em uma jarra e em um recipiente a água fresca acalma depois de um longo passeio que os transporta até seu altar.

Fogo - as velas são acesas para que as almas se recordem. Em geral, são colocadas quatro velas que representam os quatro pontos cardeais para orientar os espíritos durante o seu retorno.

Foto: viviendoenelmexicomagico.blogspot.com.br

E para finalizar a comemoração do reencontro, a família compartilha com seus mortos, alguns pratos típicos como: massa, doce de batata doce e goiaba, tortillas que combinam muito bem com pulque, tequila e mezcal.


Fonte: archives.quarrygirl.com

Partimos do princípio que: onde tem comida tudo se torna mais feliz, não é mesmo!
Assim, com esse pequeno texto podemos conhecer mais um pouquinho da cultura culinária de outros povos, mesmo que seja um cardápio para além da vida...


Fontes: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/dia-dos-mortos-e-celebrado-com-festa-no-mexico
http://diadelosmuertos.yaia.com/historia.html
http://www.visitmexico.com/pt/dia-dos-mortos-tradicao-e-sabor




segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Bolo de Laranja!



Todo mundo sabe que os bolos que comíamos na infância estão de volta, com tendência total. Amamos esse tipo de bolo com café, com chá, da maneira que for, pois além de saboroso tem aquele gostinho da infância.



Saindo do forno...




Esse aqui, a pedido, está sem calda e sem cobertura.


Assim a Fornosura está voltando às origens, trazendo vários tipos de bolos que hoje, todos chamam: tipo da vovó.
O que nos diferencia? hum, o sabor!



Com calda e cobertura, também de laranja.

Nós fazemos todos por encomenda e da forma que o cliente quiser: com ou sem calda, com ou sem cobertura, diferentes coberturas...você que escolhe!



Saindo para entrega!


Fornosura, cada fornada sai com sabor da infância!











Origem da Tapioca


Tapioca? oba!

Então, a tal famosa tapioca que "todos" nós gostamos de saborear vem mesmo do amido da mandioca e fora do Brasil,  é conhecida como a própria raiz ou mesmo um aglutinado. Uma herança indígena que foi introduzida na cozinha colonial do Brasil (europeia) quando da chegada dos portugueses, pois com a falta dos filhós e dos pães de trigo acharam a farinha semelhante, passando por acompanhar as refeições.


Farinha de tapioca em flocos
Foto: internet


Com o passar do tempo, difundida por todo Brasil, é associada diretamente com a cultura do Norte e Nordeste mas sabemos que já ultrapassou essas fronteiras, certo?



Farinha de tapioca vendida no exteror.
Foto: internet


A tapioca é bem conhecida mais pela sua apresentação do beiju recheado com vários sabores.


Foto: Café Regional Priscila, Manaus/AM.


Outra versão também bastante conhecida é a do cuscuz doce, que foi incorporada a nossa cultura pelas escravas do noroeste africano (origem muçulmana), que a adotaram como substituta da sêmola e incorporaram ingredientes bem comuns da Bahia na receita, como o açúcar e o coco. Assim, foi criado o cuscuz baiano (doce/branco) muito saboroso. Na região sudeste é muito comum encontrarmos o cuscuz doce regado com muito leite condensado.


Cuscuz doce.
Foto: site Sem glúten sem lactose


E a Fornosura experimentando algumas receitas, chegou a uma que faz bastante sucesso entre os clientes: a Maria Mole de Tapioca. Muito simples mais saborosa, pode ter variações com as trocas de caldas ou com a versão de cobertura de beijinho e/ou brigadeiro branco.


Maria Mole de Tapioca, Fornosura.
Quer saber que sabor essa" baianinha" tem? é só fazer sua encomenda!


Fonte:
http://www.douradosnews.com.br/especiais/a-historia-da-tapioca-saiba-como-surgiu-essa-iguaria





segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Baba de moça, doce brasileiro!


Baba de moça tradicional saindo!!!
Então, a origem mesmo é brasileira devido a uma versão portuguesa do doce de ovos (assim contam) e modificada pelas cozinheiras brasileiras da época do império. 






Para dar um um toque tupiniquim, foi adicionado o leite de coco e sabe que o sabor ficou muito melhor?!


Hum, Cueca Virada!


Hum, coisa boa é lembramos de alguém ou alguma coisa que nos fez (faz) felizes, não é verdade?! 
Assim em outra ocasião, fiz para matar as saudades...rs





Uma das coisas que lembro com carinho do Rio Grande do Sul é essa gostosura aqui: os Grostolis, também popularmente conhecidos como Cueca Virada. Dizem que sua origem é da colônia italiana mas sendo ou não (mas acho que sim) eles com um café bem quentinho, nossa!
Formosura, a cada fornada, uma demonstração de carinho!


Artigos para casa



Quando viajamos sempre gostamos de trazer algumas coisas para casa e adoramos esse tipo de serviço aqui: rústico, não é lindo?!




Adoramos caneca e os nosso amigos, sabendo disso, também nos trazem...rs
Montei essa mesa com algumas sobre o artesanato da Mamma (minha sogrinha) Carmen Alves que faz cada coisa! além de ter uma mão para cozinha, nossa!
Não é um fofura?!


Bolando para o blog Gastando Sola Mundo Afora - GSMA


Bom dia pessoal!
Começando os trabalhos de hoje porque tenho que montar os bolinhos do evento do @Gastando Sola.



E para você que ainda não se inscreveu esta é a última semana, heim!
Vai acontecer uma caminhada por Santa Teresa, um bairro bem charmoso e histórico do Rio de Janeiro, com sorteio de brindes e lógico:bolinho de aniversário da Fornosura!

Participem assim:
http://www.abaretiba.blog.br/2016/09/vamos-gastar-sola-em-santa-teresa.html?m=1